Intercâmbio

14/10/2015

5 motivos para fazer Intercâmbio antes dos 30

Tags:, ,

1. Antes tarde do que nunca.

O inglês é essêncial, isso ninguém duvida. Mas ir para uma cidade e fazer um intercâmbio te dá mais experiências e conexões neurais.

Sair da sua casa todos os dias e ir para uma escola de inglês beira o monótono. Cerca de uma hora e meia de estudo diário pode funcionar para algumas pessoas, mas a segurança na língua e o “Se vira nos 30” fora da zona de conforto, só mesmo encarando a viagem para outro país.

Quando fui para o Paraguai e conheci taxistas falando espanhol, mudou minha idéia sobre o país. Conheci em pouquíssimo tempo, a cultura local, como eles aprendem outras línguas na escola e como eles tem raízes fortíssimas com sua ascendência indígena. Tudo o que aprendi com eles está guardado na memória e não é possível esquecer

Ninguém esquece uma experiência de vida. Nossas conexões neurais são criadas e não são apagadas. Isso vai te fazer crescer como pessoa e enxergar a vida de outra forma.

Experiência é experiência em qualquer língua.

2. Inglês é obrigatório

Sim, vou reforçar isso. Se você trabalha com Informática e tem sonhos de crescer na empresa ou até mesmo trabalhar com empresas do exterior em home-office, você vai precisar de inglês. Outras áreas também possuem essa obrigatoriedade, como Administração e Finanças.

Estava fazendo umas contas. Um bom curso de inglês da minha cidade tem 5 aulas de 1 hora cada por semana, totalizando 20h por mês. Vamos supor que o aluno seja muito dedicado e ele vai ver 5 filmes em inglês por semana, pra tentar aprender vocabulário fora da sala de aula. Pra facilitar a conta, colocaremos + 30h de inglês por mês, num total de 50h por mês de inglês na sua vida.

Caso façamos um intercâmbio, ficando em uma home-stay, teremos um curso de aproximadamente 20h por semana. São aulas de 4h por dia, 5 dias por semana.  São 80 horas de inglês por mês só na escola. Já pensou nisso? Fora, a escapadinha ao mercado, em inglês. A ida ao restaurante, ao Pub, ao cinema, ao teatro, ao parque, tudo em inglês. Isso é imersão.

3. Uma viagem de 30 dias (ou mais) conhecendo a cultura local

Amo viajar (da pra perceber né?). E quando viajo de carro, gosto de parar em muitos lugares. Uma viagem de 30 dias por outro país, é como uma viagem de carro, mas com parada pra dormir sempre na mesma casa. A cultura fica a cargo do lugar que você ficará. Mesmo que fique com brasileiros, diferença da cultura vívida entre as pessoas será uma mudança muito drástica na sua vida.

Se você já passou dos 30, ao menos sua carreira já deve estar encaminhada. Isso fará você pensar muito em ficar somente 30 dias, o que não é o ideal. Antes dos 30, você ainda morando na casa dos pais, sem filhos e com a carreira começando, te da um ambiente muito mais propício a “largar tudo” e ir viajar.

4. Não estar casado e não ter filhos

Um intercâmbio é algo trabalhoso para se planejar (se vc quiser economizar um pouco) e caro para se pagar. Quando você se planeja sem estar casado e sem filhos, fica mais simples.

Você pode dormir num albergue junto com muitas outras pessoas, você pode dormir numa home-stay, até pode dormir numa praça ou num camping. Tudo porque você precisa pensar somente em você.

Quando se tem esposa e filhos, não fica impossível, mas é mais trabalhoso e custoso. Farei um post falando somente da minha experiência em planejar um intercâmbio.

Se você é solteiro, não tem filhos e necessita de inglês por qualquer motivo que seja, comece a planejar seu intercâmbio urgente.

5. 30 dias para conhecer um futuro país para imigrar

Sempre que eu viajei, Recife, Porto Seguro, Floripa, eu quis me mudar para esses lugares. Primeiramente pelas oportunidades que vislumbrei nesses lugares e depois pela mudança de vida e muitas vezes aumento da qualidade de vida. Mas essa decisão não pode ser tomada apenas durante uma viagem de 7 dias. Ao voltar pra casa, deve-se pensar, analisar e ver se a decisão é a mais acertada. Muitas vezes não é.

Um outro país a decisão deve ser pensada muito mais, pois sair do seu país, da sua terra, do seu lugar e ir ser estrangeiro em uma terra desconhecida é algo para poucos missionários da JMM. Conhecer o lugar é essencial. Conhecer as pessoas, conversar com locais, viver o que eles vivem.

Eu estou seguindo esse primeiro passo: Conhecer o lugar. Se gostar, na volta começo a pensar nas oportunidades do lugar, analisar bem e começar a procurar formas para realizar a imigração.

Bom pessoal é isso aí. Nos vemos por aí.

“Num dia lindo, almejo encontrar, a eterna glória que prometida está” Cântico Cristão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *