Lugares, Viagens

21/03/2014

Arraial d’Ajuda – BA

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Resumo da Viagem:
Destino: Porto Seguro e Arraial d’Ajuda – BA.
Período: Agosto (7 Dias).
Pacote: Comprado na TamViagens – Online.
Vou descrever como foi a viagem, vou contar o que fiz nos dias e minhas impressões do lugar e algumas dicas do que fazer, e onde não se hospedar.

Dia 01 – Porto Seguro, BA

Mais uma vez, fomos de carro até o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Paramos no FlyPark com Cobertura. O valor e a tranquilidade que a empresa passou em minha primeira viagem, me fez voltar a deixar o carro lá. Eles (como a maioria dos estacionamentos na redondeza do aeroporto) possuem translado do estacionamento até o aeroporto. Muito tranquilo e ainda te deixa na porta mais próxima do seu embarque. Valeu muito a pena.
No aeroporto houve algo bem inusitado. Como me casei a pouco tempo, minha esposa não alterou os documentos ainda. Logo, ao tentar embarcar, ela foi vetada pela atendente, pois no Voucher estava escrito o nome de casada e no documento apresentado o nome de solteira. Graças a Deus, possuo uma copia da certidão de casamento no GOOGLE DOCS.
Dica: Escaneie seus documentos e coloque no googleDocs. Essa foi a salvação da viagem, pois a atendente não estava disposta a ceder, e como não tinhamos a orientação contínua da CVC, ficamos por nossa conta e risco.
Chegando em Porto Seguro – BA, fomos direto tentar alugar um carro. Depois de muita conversa, e mais conversa, choro, negociação e mais choro, conseguimos alugar um Renault Logan 2010 por R$ 450.00. Perto dos outros lugares, esse preço esta uma pechincha, pois os outros preços estavam variando de R$650 a R$1200.
Em posse do meu GPS atualizado, conectamos no veículo, colocamos o destino e para nossa surpresa: Todas as Ruas de Porto Seguro estão diferente do Navi Tech Mapas de 2011. Mas isso não tirou nossa alegria, pois chegamos até o hotel como um bom turista faz: Perguntando.
Chegando no Hotel fomos super bem recepcionados. O Ar Condicionado na recepção estava funcionando, a recepção é super limpa e aconchegante e o hotel tem uma localização extremamente privilegiada. Saímos durante a noite para passear no local, jantar e descobrir onde comprar coisas.
De volta ao hotel, fomos tomar banho, guardar as roupas no Roupeiro, e fazer as demais necessidades diárias e começamos a perceber algumas coisas estranhas. O ar-condicionado estava empinhocado de pó, a porta do Guarda Roupas era fechado com um elástico e os fios atraz da televisão tinham teias de aranha suficiente para segurá-la na parede. Fomos até a recepção e o gerente não se encontrava. Perguntei do WI-FI, e adivinha, só com o gerente. @#$%.
Resolvemos Dormir assim mesmo pq afinal estava tarde, e resolveríamos tudo no dia seguinte.

Dia 02 – Mergulho no Recife de Fora

Hoje nós começamos o dia com um café reforçado, bem, era quase só café mesmo. Ao contrário da nossa viagem A Caldas Novas, o café foi servido num local muito pequeno, quente, mas parecia estar tudo limpinho. O café é bem simples, sem muitos itens. Então tive que me contentar com pão e ovo! Amo isso!
Fomos conversar com o gerente e novamente ele não estava, e somente solicitamos para limpar o quarto, fiquei com um pouco de receio, pois minhas coisas estavam todas no quarto, entre elas: Notebook, tablet, celulares e câmeras. Fomos dar um passeio de Escuna, rumo ao Recife de Fora. Muita propaganda foi feita deste recife. Mas chegando lá, encontramos as águas um pouco turvas mas com muitos peixes pequenos. Parecia até q tinha acontecido uma desova pouco tempo antes.
O lugar é bonito, mas para quem gosta de andar sobre lugares um pouco escorregadios, pois o Recife de Fora é formado por corais esponjosos que aparecem em alguns períodos do dia. Logo, existe muita fauna marinha exposta, como o Ouriço. Esta pequena criatura espinhosa está espalhada por todo lado, deixando pequenos lugares para atravessar sem a possibilidade de pisar em um deles. Em conversa com os guias, durante outras épocas do ano o lugar possue águas mais claras e diversidade de espécies bem maior que a encontrada em agosto.
Dica: Ao pensar em ir a Porto Seguro – BA com intenção de ir ao recife de Fora, compre papete, ou alugue lá. Caso não goste de usar as famosas CROCs, não compre nada e alugue da escuna. Se uma Croc faz teu estilo, compre e divirta-se, pois não é recomendado ir com nenhuma papete que seja aberta, ou tenha sola fina como havaianas ou GOOC.
Dia 03 – Arraial D’Ajuda
No início deste dia tivemos que tomar uma decisão muito importante: Sair do Costa Verde Hotel. O motivo? Bem, o hotel não atendeu algumas de nossas solicitações, e procuramos por diversas vezes o gerente para conversar e o mesmo não se encontrava. As solicitações foram bem simples: Conexão WiFi, troca ou limpeza do ArCondicionado, limpeza do quarto e chaves dos quartos.
O que nos motivou a sair do hotel foi a falta de higiene. Estava me sentindo um tanto desconfortável pela pouca higiene oferecida.  Sem pestanejar, fomos a uma pousada muito indicada pela CVC Viagens, a Pousada do Xão. (É assim mesmo que se escreve).
Pousada do Xão – Um lugar bem rústico, mas extremamente agradável e limpo. Chegando a esse cantinho do paraíso, tivemos útimas surpresas, pois este lugar surpreendeu em todos os quesitos, não nos deixando nem ficar irritados com o HelpViagem da Tam Viagens.
Nosso objetivo agora era ir ao Arraial D’Ajuda Eco Park. Não chegou a ganhar o posto de melhor parque aquático que nós já fomos, mas foi extramamente divertido, com piscina de ondas, praia privativa, caiaques, toboáguas gigantes e quedas bem rápidas.
Neste parque, não deixe de conhecer o projeto que preserva os Corais de Arraial. Muito interessante saber o tempo do ciclo de vida de um coral e as formas que eles são cultivados.
Dica 01: Passeie bastante, e na hora de se alimentar, procure coisas leves. E leve de casa salgadinhos e bolachas para beliscar. Caso queira almoçar, o parque possue várias opções e eu recomendo o cachorro quente. O Garçom apenas lhe pergunta se vc deseja 1 ou 2 salsichas e lhe entrega o pão com as salsichas abertas. Aí, divirta-se. Todos os outros ingredientes são á vontade. E tinha de tudo. Imagina o tamanho que ficou meu lanche né?
Neste fim de tarde, resolvemos solicitar o Checkout no Costa Verde através do Help viagem e ficar em definitivo em Arraial D’Ajuda na Pousada do Xão. Aí a dor de cabeça começou. Após 2 horas tentando, conseguimos finalizar a solicitação e o operador do help viagem nos tranquilizou sobre a devolução do dinheiro da hospedagem.
Depois de tudo isso, fomos passear a noite, curtir a Rua MUCUGE, a mais badalada de Arraial D’Ajuda.
Dica 02 : Nesta rua existe muitos pontos de comida baiana, mas procure a barraca da Sandra. A única baiana de Salvador que estava fazendo suas vendas alí. O acarajé e o Vatapá estavam maravilhosos. Comi até me esbaldar. E ainda tinha um “Quebra-queixo”, amendoim e pé de moleque.
Dia 04 – Santa Cruz de Cabrália
Este dia amanheceu com muitas nuvens, e aparentemente com uma aparência de chuva iminente. Conversamos e resolvemos fazer um city-tour. Santa Cruz de Cabrália é foi escolhido como destino.
Passeamos pelo Centro Histórico. Vimos todas as coisas existentes no Museu. Como não era temporada, não existiam guias oficiais da prefeitura para nos orientar e ficar nos explicando. Mas existem os Flanelinhas. Isso mesmo, eles servem de guias nas horas vagas. São organizados, mas sem nenhuma instrução, aparentemente decoram o que os outros guiam falam e saem falando também.
Uma curiosidade, é que a cada lugar que passávamos, alguém dizia que a igreja foi a primeira igreja a se realizar uma missa no Brasil. Outra, foi que encontramos umas “ruinas desconhecidas”. Será que foi fruto de UFOs?
Voltando pra casa, passamos pro uma aldeia indigena para turistas. Isso mesmo, os indios mais capitalistas que já vi. Extremamente organizados, e com um almoço bem gostoso. Passamos pelo outro local onde foi realizada a primeira missa no Brasil (será que foi simultânea?), e neste lugar ao menos existe uma pequena capela feita de barro com palhas na cobertura. Este também foi o lugar onde o Papa celebrou a missa de 500 anos no Brasil.
Dica: Pague um guia, eles cobram entre 5 e 10 reais, porém o mais legal é o convívio de pessoas que tem uma cultura diferente. Mas caso a grana estiver curta, opte por livros e guias de turismo na internet para você saber do que se trata cada monumento da cidade histórica.
Dica Master: Quando for a Arraial, não deixe de conversar com o Xão. Um homem super simples e amável. Gaúcho, conversador e que faz um churrasco memorável todas as quintas feiras a preço fixo de R$10,00 com direito a comer o quanto aguentar.

Dia 05 – Praia do Mucuge e City Tour

Acordamos bem dispostos neste dia. Pegamos o carro e fomos até uma praia bem próxima a pousada, a praia do MUCUGE. A praia é bastante deserta, mas imagino que é por que estava ameaçando chover, até chegou a cair uma garoa. Então resolvemos fazer um Tour pela cidade de Arraial e Porto Seguro. O passeio foi uma caminhada ao descobrimento do Brasil. Não estávamos pensando em pagar guias, mas não foi necessário. Existe placas ao redor de cada monumento tombado pelo patrimônio histórico. Porém, alguns guias possuíam aquela lábia que faz você comprar areia na praia.
Porto Seguro é bem interessante pela parte do descobrimento. Suas praias e atrações são mais voltadas a badalação e bebidas alcoólicas.
Dica: Não deixe de visitar a réplica da caravela, que fica próxima a saída de Porto Seguro, sentido Santa Cruz de Cabrália.

Dia 06 – Praia do espelho e Trancoso

Acordamos e com chuva ou com sol, iríamos á famosa praia do espelho. Para nossa surpresa: Muito Sol.
Praia do Espelho. Em alta temporada parece ser mais espelho. Depois de um longo caminho tentando desviar a balsa que existia entre Porto Seguro e Arraial, conseguimos chegar a praia. Durante o percurso, não desista na estrada. Parece que não chega nunca, uma estradinha de areia batida que em alguns lugares chega a dar medo. Mas a praia do espelho é bem recompensadora. Apesar das águas turvas pelo período, a praia é bastante bonita.
Além da praia, existem quiosques com muito charme em toda orla da praia. Durante o período que ficamos em um quiosque somente conseguimos ver um outro casal. Ninguém mais. Pena que durante o período da tarde choveu bastante, mas aproveitamos a manhã e o fim da tarde. deitados em colchões com uma tenda por cima e os garçons nos servindo a beira da praia. Isso que é vida.
Dica: Não estacione o carro em estacionamentos. Continue na estrada mantendo as esquerdas que é possível descer com o carro até próximo a praia atrás de alguns quiosques que não cobram estacionamento para clientes. Pelo preço do estacionamento, vale muito a pena.
Dia 07 – Praia da Pitinga (Arraial)
Último dia em Arraial D’Ajuda e Porto Seguro. Mas não estávamos satisfeitos, queríamos mais. Fomos até uma das praias que nos indicaram na pousada. Esta praia é o ponto de encontro dos guias da CVC. Os ônibus param neste lugar, porém não tem muita bagunça. A praia é bem gostosa, com ondas fortes e água turva. Nem chegamos a entrar na água, pois o sol estava fritando beringela. Pra não ficar pimentão, preferimos comer algumas porções, conversar, criar oportunidades, verificar as oportunidades que o local nos reservava.
Esta praia é bem gostosa. Vale a pena.
Almoçamos ali mesmo, no quiosque, com vários aperitivos e sucos dos mais variados tipos, como cacau, cupuaçu e tamarindo todos da fruta de verdade e não de polpa congelada.
Dica: Não deixe de levar dinheiro reserva pois existem alguns quiosques que não aceitam cartão.
Voltamos para a pousada, juntamos nossos trapos, tomamos um banho e voltamos para Porto Seguro afim de embarcar de volta para São Paulo.
A viagem foi bem gostosa apesar dos encalços do início, mas quem tem Deus, não se preocupa muito, pois ele dá a direção em tudo. Sem medo de viver Celebrando a Vida!
Como terminou o problema com a Tam Viagens? Segue o link:
 Se gostou das dicas e da viagem, Curta e Compartilhe nas suas redes sociais. Não deixe essas informações só para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *